Todos somos Black Bloc e a circulação de rumores em SRS.

Recentemente, o projeto de lei apresentado na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro pelos deputados Domingos Brazão e Paulo Melo (PMDB) visando a proibição do uso de máscaras em manifestações acirrou o debate em torno da violação de direitos, anonimato, vandalismo e ações de Black Bloc.

Em meio a uma enxurrada de opiniões, artigos e matérias sobre tal projeto, não demorou a surgirem os primeiros memes em sites de redes sociais. Um dos que mais circularam foi o de uma montagem que mostra Caetano Veloso, Chico Buarque e Marcelo D2 com os rostos cobertos como forma de apoio aos manifestantes mascarados.

É bem provável que você tenha visto tal meme compartilhado por alguém próximo e até ou ouvido de um amigo: “pow, que bacana, você viu que Caetano apóia o Black Bloc?”. Pois é, ainda que de fato a foto publicada no Facebook por D2, tenha sido em apoio ao movimento, as fotos de Chico e Caetano não tinham nada a ver com a história. Foram tiradas em outros contextos e reapropriadas em torno de uma causa as quais a priori não defendiam.

O mais interessante disso tudo é notarmos a capacidade com que informações falsas (não apuradas) são reverberadas em sites de redes sociais, sobretudo Facebook. Basta um simples curtir ou compartilhar e pronto sua rede de amigos tem uma “nova informação”. Obviamente as pessoas não acreditam em tudo que vem no Facebook, ou pelo menos não deveriam acreditar, mas os rumores estão ai circulando e precisamos pensar mais sobre isso.

Lino Bocchini publicou na Carta Capital um texto bacana sobre o assunto, no qual levanta diversos pontos pertinentes. Tal texto que pode ser lido AQUI.

Lisi Barberino

é mestre pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA, na linha de pesquisa em Cibercultura. Possui Bacharelado em Comunicação Social com habilitação em Produção em Comunicação e Cultura.

More Posts

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.