Mesa-redonda com o tema “ampliação do uso das mídias sociais: desdobramentos possíveis”

Ainda pela manhã, os professores membros do GITS/UFBA, José Carlos Ribeiro, Malu Fontes e Fabrício de Souza, participaram de uma mesa-redonda discutindo o tema “ampliação do uso das mídias sociais: desdobramentos possíveis”.

Prof. José Carlos dá inicio a mesa abordando a questão da auto-apresentação em mídias sociais, onde problematiza o uso de aplicativos sociais nesse processo. Para essa discussão aponta duas aplicações de tais aplicativos. A primeira delas se dá no resgate das informações sociais, em que são realizadas releituras de si mesmo e reconstrução daquilo que se é. A segunda implicação diz respeito a comparativos de informações sociais, em que o individuo se compara aos outros, em aplicativos que medem a audiência e categorizam o usuário. O professor ressalta que tais aplicativos trazem elementos que geram reflexão e interferem na auto-apresentação e coloca a seguinte provocação: de que forma esses aplicativos que auxiliam na construção da auto-apresentação influenciam na (re)constituição dos aspectos do self?

Em seguida, professora Malu Fontes traz a questão do agendamento pelos meios de comunicação chamados tradicionais. A professora não acredita que não há mais um agendamento por parte de tais meios e defende a idéia de que o que existe hoje é uma provocação gerada a partir das mídias sociais, que obriga os meios tradicionais a agendarem determinado assunto. Profª Malu traz à discussão a Primavera Árabe, em que pessoas insatisfeitas com a ditadura, que sempre contou com grandes grupos hegemônicos, ensaiaram um movimento onde as redes sociais tiveram um papel fundamental e obrigaram os meios tradicionais a transmitirem as reivindicações, construindo um movimento global. Dessa forma, as redes sociais reverberaram o movimento e foram fundamentais na rapidez de sua construção. Malu aponta também que a mídia convencional ainda faz uma cobertura muito caricata, muitas vezes deslegitimando o movimento e contrapõe ao fato de que ainda que caricata, não há mais como esconder notícias, criando um vértice ruas, meios e mídias sociais. Para finalizar propõe a discussão de como esses três elementos conversam e interferem um no outro.

Finalizando a mesa-redonda, professor Fabrício de Souza problematiza a forma como a fala permitiu ao homem multiplicar suas capacidades de contatos sociais e, partindo dessa reflexão, aponta que a comunicação mediada amplia ainda mais a função da fala. Professor Fabrício ressalta ainda que a espetacularização da vida cotidiana não é o único aspecto do compartilhamento de experiências no ciberespaço e aponta que a grande preocupação diante da ampliação das redes sociais esta no desafio metodológico: não podemos generalizar uma experiência pessoal em algo universal. Prof. Fabrício finaliza sua fala propondo o desafio de uma investigação adequada e sistemática e não apenas interpretativa.

 
  • Twitter