2 Comments
  1. Grande parte dos virais são conteúdos humorísticos, mas nem todo conteúdo bem-humorado se viraliza. O que faz a ontologia do viral permanecer um mistério. Já existem empresas especializadas em monitorar virais (http://www.buzzfeed.com/), a fim de entender o elemento catalisador da viralização, que certamente seria vendido a peso de ouro entre publicitários e marqueteiros. Gosto de pensar, no entanto, nessa questão da apropriação de conteúdos institucionais por amadores e vice-versa. Vi que você analisa essa dinÂmica através da teoria ator-rede, né? Em tempo, quem escreveu este post?

    • Olá André, sou Maria Alessandra. O post foi escrito por mim. Acredito que a gente tenha interesses semelhantes. Apenas uma correção, não sou pesquisadora da TAR não! Pelo menos, por enquanto,rs! Vou dar uma olhada no link que você sugeriu. Obrigada!

Deixe um comentário