Rede pesquisa jovens de todo o Brasil na internet

Coordenada por Nilda Jacks (UFRGS) e com a vice-coordenação de Mariângela Toaldo (UFRGS), a Rede de Pesquisa Brasil Conectado é formada por pesquisadores de instituições de ensino superior de todo o país, com o objetivo de desenvolver pesquisas nacionais e comparativas. Com o intuito de fortalecer a integração dos envolvidos, a página oficial da Rede está online desde o início desse mês. Professores, estudantes e profissionais da área da comunicação estão envolvidos na rede, que se iniciou em alguns estados no final de 2011 e no ano passado conseguiu montar equipes em todo o país.

A ideia da rede corrobora com um problema de pesquisa que vem sendo debatido nos últimos anos, relacionado à reflexão de possíveis alterações na forma como o público estaria se apropriando dos conteúdos produzidos pelos meios de comunicação de massa perante novos cenários de recepção. Este novo ambiente, como problematizado por estudiosos do comunicação como Fausto Neto, possuiria um componente importante para a reflexão: o modo como se dá a circulação dos conteúdos dos veículos de comunicação.

Nessa perspectiva, a rede desenvolve a pesquisa Jovem e consumo midiático em tempos de convergência, a fim de conhecer as realidades regionais brasileiras no que diz respeito aos usos e apropriações dos recursos multimidiáticos em processo de convergência, por parte dos jovens nas diferentes regiões do país. E o site buscará agregar páginas com informações das equipes de todos os estados. Daí, cada equipe local ficará encarregada na produção de conteúdos específicos, referentes às pesquisas em andamento da rede.

Pesquisa
Tendo seu início em 2012, a referida pesquisa objetiva analisar representações identitárias em diferentes plataformas midiáticas a fim de compreender a complexidade das relações dos sujeitos com as mensagens e suas respectivas re-elaborações na vivência cotidiana. Em um país de proporções continentais como o Brasil, percebe-se a inexistência de pesquisas em âmbito nacional, e até mesmo regional, de cunho comparativo, impossibilitando problematizações e análises de fenômenos macro-sociais que dizem respeito a um segmento maior da sociedade e seus processos identitários.

Sendo assim, a intenção é descobrir se diferenças condicionadas por acessos diferenciados, em contextos distintos, podem definir práticas diferenciadas no uso dos ambientes digitais pelo público analisado. Trata-se de um estudo comparativo entre todos os estados do Brasil, envolvendo as capitais e algumas cidades pequenas e médias do interior dos estados, a fim de compor um panorama nacional a respeito do tema. A pesquisa está em desenvolvimento, com os primeiros resultados a ser divulgados no ano que vem. Mais informações podem ser obtidas com os colaboradores de cada estado.

Vitor Braga

Jornalista, professor da Universidade Federal de Sergipe e doutor em Comunicação pela Universidade Federal da Bahia.

More Posts - Website

Follow Me:
Twitter

2 Comments
  1. Pingback: Blogs acadêmicos sobre mídias sociais, pesquisa, métodos e sociologia digital | Tarcízio Silva

Deixe um comentário