Pesquisadores e Projetos

Coordenador

José CarlosJosé Carlos Ribeiro – Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia, doutorado em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia, e pós-doutorado pela Universidade Nova de Lisboa. É professor do Instituto de Psicologia (UFBA) e pesquisador associado aos Programas de Pós-graduação em Psicologia (UFBA) e em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA). É coordenador do GITS – Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias Digitais e Sociedade (UFBA/CNPQ) e professor colaborador do LAB404 – Laboratório de Pesquisa em Mídia Digital, Redes e Espaço (UFBA/CNPQ). Tem experiência nas áreas de Psicologia e de Comunicação, com ênfase em Novas Tecnologias Digitais, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura, sociabilidade, interações e processos psicossociais relacionados aos meios e ambientes digitais de comunicação. (Lattes | @jcribeiro)
Pesquisa: Percepções sobre Usos e Apropriações de Dispositivos Comunicacionais Móveis nas Práticas Interacionais Cotidianas: um estudo com jovens universitários.
Descrição: A presente pesquisa objetiva detectar os formatos de usos e apropriações dos dispositivos comunicacionais móveis nas atividades diárias de jovens universitários, e investigar as ressonâncias de sua incorporação nas dinâmicas interacionais, em especial no que diz respeito aos modelos de comunicação interpessoal, de sincronização interacional e de comportamentos sociais vivenciados. Busca-se com isto aprofundar o olhar sobre as implicações dos usos desses dispositivos na vida social, captando, através da utilização de técnicas qualitativas (ancoradas na proposição de duas categorias e oito sub-categorias de análise), as narrativas pessoais dos sujeitos sobre os sentidos, os significados e os lugares que eles ocupam em suas vidas, compondo e recompondo experiências de práticas comunicativas e interacionais.


Pesquisadores Doutores

Malu FontesMaria Lucineide Andrade Fontes (Malu Fontes), Jornalista, graduada pela Universidade Federal da Bahia/UFBA (1989); mestre (1999) e doutora (2004) pelo Programa de Comunicação e Cultura Contemporâneas/UFBA (2009); integrante do Projeto Nacional para o Estudo do “Ensino do Ciberjornalismo na Era da Convergência Tecnológica, Metodologias, Planos de Estudo e Demandas Profissionais no âmbito do PROCAD”; participante do GJOL, Grupo de Pesquisa em Jornalismo On-Line; professora adjunta da Faculdade de Comunicação da UFBA, onde leciona na Graduação, no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas e no curso de Especialização em Teoria da Comunicação; pesquisadora associada da ONG Anis – Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero (http://www.anis.org.br/); articulista-colaboradora em rádio, jornal impresso e televisão educativa no campo temático da cultura noticiosa. (Lattes |@malufontes)

Fabricio de SouzaFabricio de Souza graduou-se em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (1997). Pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia, nesta mesma instituição, obteve os títulos de Mestre em Psicologia (2000) e Doutor em Psicologia (2006). Atualmente é professor do Instituto de Psicologia da Universidade Federal da Bahia. Tem experiência na área de aplicação da Análise do Comportamento (Terapia Comportamental de jovens e adultos) e na investigação da interação humana e animal segundo o enfoque evolucionista. Atualmente dedica-se à investigação das interações de adolescentes mediadas pela tecnologia digital. (Lattes)
Pesquisa: Relações online entre adolescentes da cidade de Salvador/BA
Resumo: Os avanços tecnológicos e o desenvolvimento de aparatos digitais produzem transformações sociais muito sensíveis nos dias atuais fazendo com que as ações das pessoas sejam marcadas pela realidade de culto ao novo, de renovação e de rupturas com algumas estruturas sociais Julga-se oportuno estudar os efeitos tecnológica sobre a adolescência para entender melhor a adaptação dos adolescentes às tecnologias digitais e sua utilização no estabelecimento e na manutenção de vínculos sociais. Assim, esta pesquisa objetiva investigar relações de adolescentes residentes em Salvador/BA estabelecidas na rede social do orkut. Nosso interesse primeiro é o estudo exploratório das fotos publicadas e dos comentários deixados nas páginas pelas pessoas que por elas navegavam de forma que possam ser identificados padrões da interação off-line que norteiam o estabelecimento de relações on-line e revelam padrões típicos de comportamentos sexualmente manifestação de afeto, elogios, expressão de saudade e busca de contatos. Posteriormente, os comentários que revelam a busca de contatos e a de afeto serão categorizados segundo apresentada no Verbal Behavior (1957) de B. F. Skinner. Por fim, pretendemos discutir, segundo o conceito de “metacontingências” apresentado por Sigrid Glenn (1986), os aspectos socio-culturais depreendidos dessas análises. A relevância deste projeto revela-se por 1) considerar a mídia digital é uma ferramenta eficaz de sociabilidade dada sua importância no favorecimento da aptidão para a vida em grupo, e por 2) utilizar-se de princípios sólidos de Análise do Comportamento no entendimento das particularidades da interação mediada pelas tecnologias digitais.

Mônica PazMônica Paz é doutora (2015) e mestre (2010) pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, na linha de pesquisa sobre Cibercultura, da FACOM/UFBA. Bacharel em Ciência da Computação pelo DCC/IM/UFBA (2007). Entusiasta do movimento Software Livre, já colaborou com a comunidade baiana desse movimento em diversos eventos e também com a Revista Espírito Livre. (Lattes | Blog | @monicapazz)
Pesquisa: Gênero e Tecnologia: hackeando as relações de gênero na comunidade software livre do Brasil.
Resumo: O objetivo da pesquisa do doutoramento é analisar a comunidade software livre por um viés de gênero.  Dessa forma, busca compreender, no que se refere ao Brasil e à percepção das mulheres, quais são: 1) as tensões e implicações de gênero nos mais diversos âmbitos do movimento software livre; 2) as razões da e críticas feministas à utilização do software livre enquanto opção tecnológica para o empoderamento de mulheres nas TIC; e 3) as formas de apropriações e colaboração ao software livre realizadas pelas mulheres e pelos grupos de mulheres dessa comunidade. Além desse tema, a pesquisadora também se interessa por sites de redes sociais onde se evidencia o fenômeno da segmentação em temas/interesses, suas funcionalidades, práticas sociais e representações sociais.
+ veja todos os textos desse autor

Vitor Braga é jornalista pela UFAL, especialista em Artes Visuais pelo SENAC, mestre e doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da UFBA, na linha de Cibercultura. É professor do curso de Comunicação da Universidade Federal de Sergipe (UFS), onde atua nas áreas de fotografia e de planejamento visual e coordena a equipe de Sergipe da Rede Brasil Conectado. (Lattes | @vitorbragamg)
Pesquisa: Condições materiais e performances sociais no compartilhamento de imagens: um estudo dos jovens e suas selfies
Resumo: A pesquisa considera as práticas sociais entre usuários em redes de compartilhamento de fotografias, capazes de estabelecer uma interação mediada pelas imagens. Para tanto, será realizada uma análise de páginas de fotografias presentes em sites promotores de compartilhamento de imagens. Isto com vistas a compreender de que forma o surgimento de novos recursos, de novas plataformas que possibilitam a criação de redes sociais e a popularização das mídias digitais estariam alterando a dinâmica das interações por meio do compartilhamento de fotografias, principalmente nas performances travadas através das selfies.
+ veja todos os textos desse autor


Pesquisadores Doutorandos

Paulo Victor Sousa é professor do curso de Design Digital da Universidade Federal do Ceará. É graduado em Publicidade e Propaganda pela Universidade de Fortaleza (2006), possui mestrado (2012) e doutorado (2016) em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia, onde participou do Grupo de Pesquisa em Cibercidades – GPC e do Grupo de Pesquisa em Interação, Tecnologias Digitais e Sociedade – GITS. Dedica-se ao estudo das interfaces digitais, dos usos e apropriações de dispositivos comunicacionais móveis e de tecnologias baseadas em localização. (Lattes / @pvbsousa).
Pesquisa: Redes sociais baseadas em localização
Resumo:
Durante anos recentes, uma série de aplicativos, tecnologias e serviços baseados em localização foram incorporados a dispositivos comunicacionais móveis (como celulares e tablets). Muitas das funcionalidades propostas por tais serviços funcionam a partir da coalizão com redes sociais digitais, o que proporciona o arranjo de dinâmicas sociais e funcionalidades pautadas nessa correlação com pares. Essa pesquisa tem por objetivo estudar como recursos de localização espacial foram desenvolvidos, implementados e apropriados, observando o aspecto georreferencial de serviços baseados em localização enquanto uma variável interveniente nas formas de sociabilidade mediadas por redes digitais. Acredita-se que, a partir de um olhar sistemático sobre o histórico, as propostas de uso e as formas efetivas de utilização, tenha-se daí uma compreensão de um momento de ampla disposição e apropriação desse recurso específico no atual cenário da cultura digital.
+ veja todos os textos desse autor

Thais Miranda é doutoranda em Comunicação e Cultura Contemporâneas (POSCOM/UFBA), mestre em Administração e possui Bacharelado em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas. Dedica-se, prioritariamente, às atividades acadêmicas: foi coordenadora dos cursos de Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas e Comunicação e Marketing da UNIFACS, onde também atuou como docente dos cursos de graduação e pós-graduação, nos últimos 11 anos. Desenvolveu trabalhos na área de Marketing e Comunicação em organizações de diferentes segmentos e integrou a equipe de professores da UCSAL, FIB e UNIME. No momento, atua como docente na UNIJORGE e desenvolve pesquisa sobre práticas sociais/sexuais em ambientes digitais. Seus temas de interesse são: Interações Sociais, Tecnologias Digitais, Privacidade, Sexualidades e Pornografia Online. (Lattes | @thaisbmiranda)
Pesquisa: Práticas Sociais em sites de vídeos pornográficos amadores. Um estudo das interações a partir do caso CAM4
Resumo: Com a popularização das diferentes ambiências digitais, explicitam-se mudanças comportamentais em diferentes aspectos sociais, incluindo-se aí, as práticas sexuais dos indivíduos. O estudo pretende compreender questões que cercam o fenômeno das interações efetivadas em sites de vídeos pornográficos amadores. Neste sentido, discute as características associadas à circulação – em “tempo real” – de imagens de sexo explícitas feitas e disponibilizadas por “pessoas comuns”, em especial aquelas relacionadas às práticas sociais que envolvem a privacidade, a solidão e o anonimato. O site Cam4, dada a sua popularidade e recente crescimento no segmento em questão, é o objeto escolhido para análise. Para ancorar as discussões, são utilizados os referenciais da Teoria Dramatúrgica, proposta por Erving Goffman.
+ veja todos os textos desse autor

Rodrigo Nejm é psicólogo pela Universidade Estadual Paulista UNESP/Assis-SP, doutorando em psicologia social no Programa de Pós Graduação da UFBA e mestre em Gestão e Desenvolvimento Social pelo CIAGS/UFBA. Realizou intercâmbio acadêmico na graduação para estudar “Médiation Culturelle et Communication” na Université Charles de Gaulle Lille 3, França. Atua como psicólogo e diretor de Prevenção da ONG Safernet Brasil, responsável pela criação de materiais pedagógicos para promoção dos Direitos Humanos na Internet e campanhas de prevenção aos cibercrimes no Brasil. Tem interesse de pesquisa nas interfaces da psicologia com a comunicação, privacidade e sociabilidade de crianças e adolescentes nas interações em ambientes digitais. (Lattes)
Pesquisa: Percepções de adolescentes sobre privacidade nos ambientes digitais: a exposição de si entre riscos e oportunidades nas redes sociais.
Resumo: A pesquisa pretende realizar um estudo qualitativo para conhecer a forma como os próprios adolescentes percebem suas experiencias nos ambientes digitais em termos de privacidade e como as qualificam em relação aos riscos. Buscamos identificar de que forma constroem a noção privacidade e como esta participa no processo de gerenciamento das impressões nas interações em ambientes digitais. Na análise dos dados buscaremos refletir sobre as implicações da noção de privacidade na experimentação dos chamados riscos on-line como Sexting, Cyberbullying, encontro com estranhos e experimentações sexuais.
+ veja todos os textos desse autor

BIANCA BECKER GITSBianca Becker é psicóloga. Doutoranda e Mestre em Psicologia do Desenvolvimento, linha de pesquisa Infância e Contextos Culturais, pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia – PPGPSI, da Universidade Federal da Bahia/UFBA.  Membro do Grupo de Pesquisa em Interações Sociais, Tecnologias Digitais e Sociedade (GITS) e do Grupo de Pesquisa em Brincadeiras e Contextos Culturais (PPGPSI/UFBA). Desenvolve pesquisa sobre a brincadeira como fenômeno do desenvolvimento e prática/produto cultural em seus diversos contextos; com foco especial às relações lúdicas de crianças e adolescentes com as tecnologias digitais a partir das brincadeiras realizadas sem fins exclusivamente educacionais e sem mediação direta de adultos. (Lattes)
Pesquisa: Cibercultura Lúdica: as práticas lúdicas de crianças e adolescentes nas mídias digitais e o estabelecimento de uma cultura lúdica digital.
Resumo: O objetivo dessa pesquisa é analisar as relações lúdicas estabelecidas por crianças e adolescentes com as mídias digitais por meio das brincadeiras livres desenvolvidas nestes contextos – atividades lúdicas não voltadas para finalidades exclusivamente educacionais e sem mediação direta de adultos. Busca-se compreender como essas novas práticas lúdicas se configuram para o estabelecimento de uma cultura lúdica digital a partir da reprodução interpretativa dos aspectos da cultura maior dentro dos episódios de brincadeira, com vistas à formação de uma cultura de pares contemporânea. Considerando as práticas culturais e, por conseguinte, os fenômenos do desenvolvimento estritamente relacionados às configurações dos diversos contextos em que se estabelecem, esta pesquisa busca discutir as práticas lúdicas nascidas e intensificadas neste momento sócio-histórico, marcado pela disseminação e pela presença crescente das tecnologias digitais na vida cotidiana.

Marcel AyresMarcel Ayres é mestre e doutorando em Comunicação e Culturas Contemporâneas, na linha de Cibercultura, pela Póscom/UFBA. Graduado em Comunicação Social (habilitação em Jornalismo) na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (Facom – UFBA). Já atuou como bolsista no Programa de Educação Tutorial de Comunicação (Petcom), grupo vinculado ao MEC, no qual desenvolveu pesquisas sobre Webrevistas, Cibercultura e Arquitetura da Informação. Também atuou como pesquisador no Observatório de Publicidade em Tecnologias Digitais (OptDigitais), uma integração Universidade (Facom/Póscom) e Empresa (Propeg), grupo no qual desenvolveu pesquisas sobre Mídias Sociais, Realidade Aumentada. Atualmente, no campo profissional, é sócio da empresa COM Inteligência Digital. Interesses de estudo: Análise de Redes Sociais, Análise da Conversação, Práticas de Sociabilidade em SRS, Data Mining, Monitoramento e Mensuração, Memória Digital e Netnografia. (Lattes | Blog | @MarcelAyres).
Pesquisa: Comunicação Mediada por Instant Messengers: a influência dos aspectos técnicos e das apropriações dos usuários nas dinâmicas conversacionais.

Resumo: Com o intuito de compreender as particularidades emergentes da comunicação mediada por dispositivos comunicacionais móveis, mais particularmente através do uso dos Instant Messengers, este projeto pretende realizar uma análise das dinâmicas conversacionais  realizadas em dois aplicativos largamente utilizados na atualidade, a saber: o Whatsapp e o Facebook Messenger, entendidos aqui enquanto estabelecimentos sociais. Com base na abordagem dramatúrgica das Interações Sociais, mapearemos quais são os aspectos técnicos e sociais que compõem esta complexa rede sociotécnica e, a partir da relação entre estes dois elementos, o estudo pretende identificar e analisar como as apropriações do meio influenciam nas performances realizadas pelos usuários.
+ veja todos os textos desse autor


imageJosé Bonifácio do Amparo Sobrinho 
é Doutorando da linha de pesquisa Cognições Sociais e Interações em Ambientes Virtuais, pela Pós-graduação em Psicologia da Universidde Federal da Bahia (UFBA). Mestre em Psicolgia Social e do Trabalho pela mesma instituição. Graduou-se em psicologia pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. É membro do Grupo de Pesquisa em Interações Sociais, Tecnologias Digitais e Sociedade (GITS). Atualmente desenvolve pesquisas no campo das interações em ambientes digitais e leciona disciplinas relacionadas à psicologia Social e do trabalho, bem como à Pesquisa Científica em instituições de ensino superior.
Pesquisa: Efeitos do Capital Social sobre as Atitudes da audiência frente a representação de instagramers.
Resumo: A pesquisa, utilizando métodos mistos, pretende avaliar a força do capital social dos perfis de instangram sobre os julgamentos de “bom” ou “mal” emitidos pela audiência em relação às representações emitidas pelos instangramers. Pretende, em sua etapa qualitativa, categorizar representações emitidas por diferentes modalidades de perfis; Na segunda etapa, quantitativa, verificará a relação entre os critérios representativos do valor de capital social e as atitudes dos indivíduos, frente a diferentes categorias de representações. Verificará, por fim, o efeito dos índices que representam valor de capital social sobre as atitudes da audiência.


Pesquisadores Mestres

IMG_0006Ana Terse Soares é graduada em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas (2004) pela Universidade Salvador e mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (2013) na linha de Cibercultura. Atualmente integra os Grupos de Pesquisa em Interação, Tecnologias Digitais e Sociedade (GITS) e o Analítica: Crítica de Mídia, Estética e Produtos Midiáticos, ambos na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia. É professora do Centro Universitário Jorge Amado, onde também atua na Coordenação Geral da Cátedra em Tecnologias Assistivas Red Ilumno Indra. Atualmente, desenvolve pesquisa sobre Performances musicais através de Hologramas e seus interesses científicos debruçam-se principalmente sobre os seguintes temas: Comunicação e Tecnologias Digitais, Cultura Digital, Redes Sociais, Produção de Presença e Materialidades da Comunicação, Arte e Tecnologia, Música e Virtualidade, Experiência Estética e Holografia, Performances Musicais e Tecnologias Digitais, Digital Bodies, Performers Virtuais.. (Lattes | @Aterse).

Pesquisa: Na ausência de carne, pixels e presenças produzidas: a materialidade da performance musical através de hologramas.

Resumo: No universo complexo das performances e das estruturas sonoras que compartilham da ausência de unidades clássicas de arquitetura e geografia do corpo físico especificamente situado, somadas às extensões eletrônicas fluidas, sobrepostas, entrelaçadas e hibridizadas de sons e imagens, enfrentamos um desafio: qualificar a materialidade da performance a partir da desestruturalização da relação entre corpo e som, chamando em causa a performance musical dos hologramas. Percebemos que no ínterim dos processos de criação (tecnologias) e da materialidade daquilo que emerge desses processos, resulta a existência de obras musicais produzidas por algoritmos sofisticados e eficientes métodos de sintetização de voz, como o caso do holograma da Miku Hatsune (considerada pop star virtual no Japão), corpus desta pesquisa. Localizamos os hologramas em performances musicais como um desafio de pesquisa imposto pela criação desses sistemas musicais interativos, que reconciliam a dimensão corporal (que tradicionalmente esteve associada à produção musical) e a (i)materialidade das estruturas sonoras que as tecnologias musicais nos apresentam na contemporaneidade. Propomos uma abordagem teórico-metodológica a partir das Materialidades da Comunicação, partindo da hipótese que a produção de presença é o elemento que precede, determina e muitas vezes, prescinde a produção de sentido na experiência performática através da holografia, ou seja, a produção de presença – aqui associada à materialidade do meio holograma -, desenvolve novos modos de mediação cultural e participa na determinação da experiência sonora.

+ veja todos os textos desse autor


Pesquisadores Mestrandos

Lisi Barberino é mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA, na linha de pesquisa em Cibercultura. Possui Bacharelado em Comunicação Social com habilitação em Produção em Comunicação e Cultura e atualmente pesquisa internet vigilantism em sites de redes sociais. Trabalhou no Museu de Arte Moderna da Bahia, no qual, responsabilizou-se pela produção de conteúdo para os sites de redes sociais e produziu diferentes projetos e exposições. (Lattes | Twitter).
Pesquisa: O ódio do dia: Um estudo sobre internet vigilantism nos sites de redes sociais.
Resumo: A pesquisa pretende analisar o fenômeno do vigilantism em seu contexto virtual, investigando a conformação do internet vigilantism, como forma de punição através de mecanismos de exposição e humilhação pública em Sites de Redes Sociais (SRS). Para tanto, far-se-á necessário compreender questões pertinentes aos SRS, visibilidade e vigilância; bem como retomar a fundação do vigilantism, para em seguida elucidar o conceito de internet vigilantism e as práticas sociais e comunicacionais a que esse fenômeno faz referência.
+ veja todos os textos desse autor

foto-perfil-niltonPNilton Pedrett é mestrando pelo Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal da Bahia, Estudou Iinformática e Ciência da Computação antes de graduar-se em Psicologia. Tem experiência em psicologia clínica humanista e interessa-se pelas interfaces entre evolução darwinista, cultura, religião e tecnologia. Atualmente participa do GITS como pesquisador e de um grupo de pesquisa em aprendizagem centrada no aluno como coordenador.
Pesquisa: Trollagem religiosa numa rede social.
Resumo: A pesquisa visa mapear o fenômeno da dessacralização da religião que acontece na Internet através das peças de humor troll, como os religiosos reagem à essas peças e como os não-religiosos reagem à essas reações. Interessa mapear so mecanismos psicológicos envolvidos na manutenção de um discurso de aceitação e amor e, ao mesmo tempo, manifestações de ódio e intolerância.
+ veja todos os textos desse autor

Karla Freitas é mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA, na linha de pesquisa em Cibercultura. Possui Bacharelado em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda. Atuou nos setores de criação da Agência Versa e da empresa DP&P Comunicação Visual. Tem interesse nos temas: Interações Sociais Online, Tecnologias Digitais, Performances e Imperativo da Felicidade. (Lattes).
Pesquisa: #felicidade: Um estudo sobre o imperativo da felicidade em rede social online.
Resumo: Tendo em mente as mudanças percebidas no comportamento social em ambientes digitais, o estudo propõe relacionar a proliferação da prática de exposição de si e o imperativo da felicidade partindo da análise da auto apresentação nas interações em rede social online, perpassando por conceitos como sociedade do espetáculo e visibilidade enquanto fonte de satisfação.
+ veja todos os textos desse autor


Pesquisadores Graduados

PerfilMateus Gonçalves é graduado em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas pela Universidade do Estado da Bahia. Atuou como bolsista de Iniciação Científica (CNPq e Fapesb), vinculado ao GUPEMA (Grupo de Pesquisa e Estudos em Mídias Alternativas e Midiativismo), em projetos sobre midiativismo e comunicação comunitária em bairros periféricos de Salvador, investigando a apropriação de tecnologias digitais por jovens de classes populares e suas contribuições para a elaboração de novas experiências estéticas no campo do audiovisual, através da veiculação de imagens em redes sociais. Realizou também pesquisas sobre o uso corporativo do Instagram, que resultaram em uma monografia premiada pela ABRP (Associação Brasileira de Relações Públicas). Possui interesses de pesquisa em interações, privacidade e vigilância em redes sociais. (Lattes | @MateusGon)

IMG_2239Patrícia Luz é jornalista e especialista em Jornalismo e Convergência Midiática, graduada pela Faculdade Social da Bahia. Também é bacharel em Teologia pela Universidade Católica do Salvador. Atua como assessora de comunicação da Arquidiocese de São Salvador da Bahia. Possui interesse de pesquisa na temática religião e mídias digitais. . (Lattes)


Pesquisadores que já participaram do GITS/UFBA

Fabricio Santana Possui Bacharelado em Ciência da Computação pela mesma instituição. Foi membro (2006-2008) do Grupo de Pesquisa em Educação, Comunicação e Tecnologias na Faculdade de Educação (GEC/FACED/UFBA) durante a graduação. Sua pesquisa se concentra nas produções audiovisuais colaborativas em comunidades específicas e as possíveis transformações socioculturais surgidas nelas. Além da Cibercultura, possui interesse em Políticas de Comunicação, Mídias Digitais e Direitos Autorais. (Lattes | @fabriciusantana)
Pesquisa:A produção colaborativa multimídia e as transformações nas práticas socioculturais
Resumo: Visualizando um possível fortalecimento da cidadania e uma maior participação na elaboração de produtos multimidiáticos que expressem verdadeiramente a realidade vivenciada por seus moradores, através do diálogo constante entre produtores e consumidores de conteúdo, a troca compartilhada de conhecimento será objeto central deste projeto. Neste sentido, identidade cultural e comunitária, coletividade virtual e comunicação bilateral, no campo das tecnologias da informação e da comunicação, são umas das dimensões a serem aprofundadas.
+ veja todos os textos desse autor

Fernanda Carrera é doutoranda pela Universidade Federal Fluminense e mestre pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, na linha de pesquisa Análise de Produtos Midiáticos, da UFBA. Especialista em Gramática e Texto pela Unifacs e graduada em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda pela UCSAL. Foi coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda da Estácio – FIB e professora do curso de Comunicação da Estácio e da Unijorge. Tem interesse nos temas: Mídias Sociais e Análise do Discurso organizacional. (Lattes | @nandacarrera)
Pesquisa: Mídias Sociais, Interação Social e Análise do Discurso
Resumo: Pretende discutir a possibilidade de articulação dos conceitos de Erving Goffman aos pressupostos da Análise do Discurso para o estudo das interações organização-indivíduo nas mídias sociais. Assim, busca compreender o processo de construção da persona organizacional nestes ambientes a partir do entendimento de que o mesmo obedece, fornecendo marcas discursivas na superfície dos seus textos, às lógicas da representação do eu propostas por Goffman.
+ veja todos os textos desse autor

LineuLineu Oliveira é mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Faculdade de Comunicação da UFBA, na linha de pesquisa em Cibercultura. Possui Licenciatura em História pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFBA e é especialista em Relações Internacionais pela Escola de Administração da UFBA. Atualmente desenvolve pesquisa sobre o compartilhamento de filmes na internet através de comunidades privadas que utilizam o protocolo BitTorrent. (Lattes | @lineuoliveira)
Pesquisa: O compartilhamento de filmes em comunidades privadas BitTorrent: seguindo os rastros da Aliança Cinéfila
Resumo: O estudo pretende construir um relato descritivo sobre as práticas de compartilhamento de filmes na comunidade privada BitTorrent Aliança Cinéfila. A ecologia do compartilhamento de arquivos na internet se diversificou bastante desde o surgimento do Napster no final da década de 1990. O protocolo BitTorrent tem sido adotado por diversos grupos articulados em comunidades privadas de compartilhamento de bens culturais, principalmente de filmes e músicas. O estudo pretende dar visibilidade a essas práticas, enquanto descreve suas formas de organização, divisão do trabalho, hierarquias, princípios e regras.
+ veja todos os textos desse autor

Luciana Ferreira é mestre em Comunicação e Cultura Contemporânea pela UFBA. Especialista em Cibercultura também pela UFBA e em Docencia do Ensino Superior pela UNIFACS. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo. Participante do Grupo de Jornalismo Online (GJol). Atuou na Rede Nacional para o Estudo do Ensino do Ciberjornalismo na Era da Convergência Tecnológica. Metodologias, Planos de Estudo e Demandas Profissionais. Temas de interesse: ensino do jornalismo, jornalismo digital e jornalismo hiperlocal. (Lattes | Blog)
Pesquisa: Ensino do Jornalismo e convergencia midiática e jornalismo digital.
Resumo: a dissertação de mestrado tratou sobre a pedagogia do jornalismo na era da convergência tecnológica, e teve como meta investigar o ensino do jornalismo após a introdução dos componentes digitais nos programas de ensino. O objetivo principal foi analisar quais mudanças esses novos elementos promoveram no currículo dos cursos de jornalismo e nas práticas de ensino.
+ veja todos os textos desse autor

Ruan Carlos Brito é mestre pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, na linha de pesquisa sobre Cibercultura, da UFBA. Especializando em Comunicação e Política, também pela UFBA. Graduado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, pela UFPA. Tem interesse nos temas: Comunidades Virtuais e Interações Online, Mídias Sociais e Comunicação Política. (Lattes | @CrapulaMor)
Pesquisa: Comunidades Virtuais e Sites de Redes Sociais: Um Estudo sobre Práticas Comunitárias no Orkut.
Resumo: A dissertação aprofunda a compreensão e caracteriza interações sociais mantidas em Comunidades do Site Orkut, observando se elementos conceituais relacionados à Comunidade Virtual estão presentes no Site de Redes Sociais em questão. Com isso, busca-se ainda investigar em que medida é possível uma aproximação teórica entre os conceitos de Comunidade Virtual e de Sites de Redes Sociais (SRSs). São analisadas, especificamente, três Comunidades voltadas a presidenciáveis nas eleições brasileiras de 2010: uma dedicada à candidata Dilma Rousseff / PT (“Votamos Dilma Presidente – PT”), uma dedicada ao candidato José Serra / PSDB (“José Serra Presidente”) e outra dedicada à candidata Marina Silva / PV (“Marina Silva – PV”). A pesquisa é desenvolvida por meio de entrevistas com alguns dos participantes, além de observação do conteúdo postado nas Comunidades.
+ veja todos os textos desse autor

Tarcízio Silva é mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, na linha de pesquisa sobre Cibercultura, da FACOM/UFBA. Bacharel em Comunicação com habilitação em Produção Cultural. Estuda as relações entre a produção e circulação de dados digitais com aspectos interacionais, mercadológicos e científicos. (Lattes | Blog | Twitter)
Pesquisa: Extração de Dados Sociais Digitais: mensuração, recursividade e redistribuição na pesquisa baseada em rastros e traços em mídias sociais
Resumo: O projeto propõe realizar um mapeamento crítico da interseção entre iniciativas científicas, mercadológicas e vernaculares na construção de formas particulares de investigação baseadas em dados provenientes de mídias sociais, que incorporam suas formas e dinâmicas. Na última década, o surgimento e intensificação de uso das chamadas mídias sociais, associados a desenvolvimentos tecnológicos de armazenamento e acesso aos dados sociais destas plataformas promoveram a reconfiguração e redistribuição das relações entre as esferas da academia, mercado e sociedade em torno de alguns dos produtos de investigação social, no que tange aspectos como dados, métodos e visibilidade. Propõe-se investigar tais produtos de forma transversal, incluindo na observação pesquisas provenientes de diversas linhas teóricas e posicionamentos epistemológicos, mas que assimilam-se através da decisão em processar dados sociais através de APIs e mineração de dados em mídias sociais.
+ veja todos os textos desse autor

Felippe Thomaz é graduado em Comunicação Social com ênfase em Rádio e TV pela UESC e estudante de mestrado do Programa de Pós Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA. Seu trabalho na academia está voltado à relação dos jogos eletrônicos com a sociedade contemporânea, mais especificamente, nas possibilidades de construção identitária em mundos virtuais. Além da pesquisa acadêmica, sua área de atuação envolve artes visuais, sobretudo nas áreas de audiovisual, fotografia e computação gráfica. (Lattes | Site | @flipthomaz)
Pesquisa: As flexões do Ser nos MMORPGs.
Resumo: O estudo objetiva investigar a possibilidade de assumir diferentes personalidades em RPGs online – MMORPGs. Para tanto, utiliza o jogo World of Warcraft no intuito de observar os processos de representações do “Eu” presentes neste simulacro, para identificar as flexões de caráter psicológico transpostas do jogador ao personagem criado – avatar. Neste sentido, o estudo objetiva também analisar a relação de alteridade em MMORPGs, uma vez que a conjuntura da constituição de si e do outro como habitantes de mundos virtuais é volátil, variável. Estes pontos, portanto, suscitam questionamentos acerca das relações humanas mediadas por computador em ambientes simulados de caráter lúdico e os reflexos destas relações no mundo físico.
+ veja todos os textos desse autor

Bianca Orrico Serrão - fotoBianca Orrico é psicóloga, graduada pela Universidade Salvador. Atua na Safernet Brasil em um canal gratuito que oferece orientação para esclarecer dúvidas, ensinar formas seguras de uso da Internet e também orientar crianças e adolescentes e/ou seus próximos que vivenciaram situações de violência on-line. Tem experiência em acompanhamento de crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade social. Realizou pesquisas sobre adolescentes, redes sociais e tribos urbanas. (Lattes)
+ veja todos os textos desse autor

Maria Alessandra Calheira é mestre em Comunicação e Culturas Contemporâneas, na linha de Cibercultura, pela UFBA; Especialista em Marketing pela ESPM e Bacharel em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela UCSal. Atua como Coordenadora Geral do Centro de Carreiras, Escritório de Intercâmbio e Núcleo de Responsabilidade Corporativa do Centro Universitário Jorge Amado. Faz parte do corpo docente dos cursos de graduação e pós-graduação desta mesma instituição onde leciona disciplinas voltadas a Comunicação, Gestão, Criatividade, Marketing e Planejamento de Carreira. Atuou 12 anos como Redatora Publicitária quando foi laureada com um Leão no Festival Internacional de Cannes, com uma medalha de prata no Clube de Criação de São Paulo, Top de Marketing da ADVB, entre outros. (Lattes | @mariaalessandra)
Pesquisa: Capital Social e os Aspectos Comunicacionais entre Organizações e Pessoas no Twitter.
Resumo: A pesquisa analisa a possibilidade da construção do Capital Social de organizações, a partir da comunicação que estas estabelecem com usuários comuns, dentro do Site de Rede Social Twitter. Ao final, foi possível responder a pergunta “Como se dá a comunicação entre organizações e pessoas no Twitter de forma que esta seja capaz de colaborar para a construção e a manutenção do seu Capital Social?”. Investigamos pressupostos conceituais referentes à teoria das redes sociais e dos sites de Redes Sociais, além de especificidades estruturais do Twitter, do debate existente acerca do construto do Capital Social, as principais convergências e divergências conceituais, bem como a sua interseção com a Comunicação Mediada pelo Computador. A análise dos dados apontou a utilização de recursos comunicacionais que privilegiam o reconhecimento, a colaboração, o compartilhamento e a confiança, práticas que corroboram para a construção do Capital Social.
+ veja todos os textos desse autor

Claudia Galante é mestre pelo Programa de Pós-graduação em Psicologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na linha de pesquisa Ideologia, Comunicação e Representações Sociais. Especialista em Marketing pela FAE (PR) e graduada em Comunicação Social pela PUC-PR. Atualmente atua no departamento de comunicação social do Instituto Federal da Bahia (IFBA) Campus Camaçari. Tem experiência na área de Comunicação e interesse nos seguintes temas: mídia, democracia, cibercultura e interações. (Lattes)
Pesquisa: Tecnologias comunicacionais e democracia.
Resumo: A dissertação de mestrado buscou identificar como as tecnologias comunicacionais tornaram possível o aparecimento de um ambiente interativo, cooperativo e descentralizado, desenhando perspectivas inovadoras nas relações entre pessoas, comunidades e governos. O uso dessas ferramentas pela sociedade civil traz profundas transformações para a ação coletiva contemporânea, e assim, a pesquisa discutiu como, e até que ponto, as tecnologias possibilitam a participação dos cidadãos em processos democráticos.
+ veja todos os textos desse autor

amandaAmanda Sartório é graduanda em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia, tem interesse na área de tecnologia e interações sociais mediadas por mídias digitais. Participa de pesquisa sobre o uso do Facebook como ferramenta pedagógica. (Lattes)

rodrigocaldasRodrigo Caldas é graduando em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia, tem interesse na área de tecnologia e produção de subjetividade. Participa de pesquisa sobre o uso do Facebook como ferramenta pedagógica. (Lattes)

Interações em redes de

compartilhamento de fotografias

Compreendendo a mediação em ambientes físicos e na web