No Sense of Place – Introdução

Introduction: Behavior and its place

No primeiro tópico do livro, Meyrowitz relata seu interesse de pesquisa anterior: o que as pessoas assumem como constante no decorrer de várias situações sociais.

A contribuição de Goffman, nesse processo, é de sua noção de drama que ocorre em vários cenários, reverberando nos modos como interagimos a depender da audiência e da ocasião. As interações parecem dinâmicas em sua superfície, a depender das escolhas de papéis, mas em sua base é regulada por diversas normas sociais. E os comportamentos podem se alterar, mas estão sempre dependentes de poucas escolhas já previstas sem uma situação.

No caso de McLuhan, sua contribuição está no fato de poder dar conta de uma mudança estrutural nos comportamentos, ao considerar a interveniência dos meios de comunicação nas relações. Isto porque a obra de McLuhan discorre sobre uma retribalização do mundo a partir de uma comunicação mediada pelas mídias;  ainda, é importante ressaltar a consideração dos meios como extensões do corpo.

Goffman e McLuhan são assim as principais referências para o trabalho de Meyrowitz. De um lado, Goffman ao analisar as definições da situação para dar conta das ocasiões sociais, mas ignorando de que forma isto pode causar mudanças na ordem social. De outro, McLuhan ao falar em mudanças na ordem decorrentes do uso dos meios eletrônicos, mas sem dar conta de como e porque isso estaria em curso considerando as mídias eletrônicas.

Para Meyrowitz, a mídia eletrônica altera os comportamentos sociais a partir do momento em que ela propicia novos cenários e regras decorrentes de situações sociais até então inexistentes. Com isso o indivíduo tem de dar conta de outras performances apropriadas.

As mídias eletrônicas estariam alterando fóruns de debates, alterando com isso o modo como as pessoas fazem a interlocução com suas redes. Mais especificamente a TV, que combina esferas sociais que antes pareciam estar bem distintas. Ao trazer viárias figuras distintas para um mesmo cenário, a mídia eletrônica pode borrar um pouco as fronteiras distintas de certos papéis sociais. Principalmente se considerarmos a noção de espaço que não é mais fisicamente delimitado. A noção de público e privado pode se alterar com isto, e o autor já apontava uma possível alteração nas interações tendo em vista a diminuição das ocasiões face a face para um crescimento nas interações mediadas.

As mídias eletrônicas desvencilharam a ligação entre situação social e um contexto de co-presença física. O lugar não estaria mais relacionado a uma localização física no espaço, tradicionalmente concebido. Embora esteja se falando em uma esfera pública, ainda existe a interveniência do lugar onde o espectador tem o acesso ao conteúdo.

O trabalho estaria se baseando em um novo cenário de interação, mediado pelas tecnologias de comunicação e que ele chama de contextos informacionais.

Vitor Braga

Jornalista, professor da Universidade Federal de Sergipe e doutor em Comunicação pela Universidade Federal da Bahia.

More Posts - Website

Follow Me:
Twitter

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.