Imperativo da felicidade é tema de dissertação de Karla Cerqueira Freitas

A dissertação de mestrado “O imperativo da #felicidade na plataforma de rede social Instagram” de Karla Cerqueira Freitas, integrante do GITS, foi apresentada e aprovada no dia 14 de julho.

Participaram da banca de avaliação a Profª. Drª Gisela da Silva Castro (ESPM), como avaliadora externa, a Profª. Drª. Leonor Graciela Natansonhn (PÓSCOM/UFBA) e o Prof. Dr. José Carlos Santos Ribeiro (PÓSCOM/UFBA), orientador da dissertação.

IMG_3051

Segue o resumo da dissertação que, em breve, estará disponível no Repositório Institucional (RI) da UFBA: http://bit.ly/2tCUneZ

Nesta dissertação buscamos investigar a maneira como a presença imperativa da felicidade na mídia se reflete nas práticas e nos comportamentos de usuários de plataformas de redes sociais digitais. Para isto, consideramos que a formação de sentido sobre a felicidade se dá através do reconhecimento social das performances apresentadas nestas plataformas e que, desta forma, perpassariam pela formação da identidade dos usuários que as estariam desempenhando. Neste sentido, assumimos como referenciais teóricos as abordagens interacionistas, simbólica e dramatúrgica, para mapear os aspectos presentes nessas apresentações de si associados ao ideário da felicidade, que se destacariam na análise das publicações enquanto padrões de comportamento. A plataforma escolhida para o desenvolvimento deste trabalho foi o Instagram, onde optamos por buscar dados públicos disponibilizados através de publicações marcadas com a hashtag felicidade. A hipótese que moveu este trabalho foi a de que nestes ambientes midiatizados as pessoas teriam mais recursos para gerir esta apresentação de si e que desta maneira apresentariam uma imagem idealizada de felicidade. Para compreender como se dava esta construção de significados, desenvolvemos seis categorias de análise – Afetiva, Profissional, Hedonista, Moral, Aparência e Interacional – com base tanto no aporte teórico, quanto nas percepções obtidas durante a trajetória de desenvolvimento da pesquisa. Consideramos também que, nestes ambientes, o conteúdo compartilhado faz parte de um espectro de imagens voltadas ao social; neste sentido, foi determinante compreender a existência de perfis com diferentes interesses dentro da rede. Nossos resultados apontam que na construção de significados para a felicidade em mídias sociais reverbera a efemeridade do hedonismo contemporâneo e, para além disso, que há uma relação entre o uso estratégico de formas e recursos de compartilhamento de acordo com o ideário de felicidade expresso nas publicações.

 

Lisi Barberino

É mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA, na linha de pesquisa em Cibercultura. Possui Bacharelado em Comunicação Social com habilitação em Produção em Comunicação e Cultura e atualmente pesquisa linchamento virtual em sites de redes sociais.

More Posts

Deixe um comentário