Entre Átomos e Bits

Por Felippe Thomaz

Como foi relatado recentemente, o GITS vem discutindo em suas reuniões o livro A Networked Self: Identity, Community and Culture on Social Network Sites, cuja organização é da Zizi Papacharissi. No derradeiro encontro, o grupo se ateve ao segundo capítulo, denominado Social Network Sites as Networked Publics, de autoria de Danah Boyd. O trabalho se estrutura a partir da observação das dinâmicas sociais nos espaços públicos na Internet – redes sociais, especificamente -, apontando para as particularidades na estrutura do meio digital e as consequentes inferências destas características nas interações humanas. Em paralelo, a autora se vale de conceitos como, por exemplo, “público” e “esfera pública” para identificar pontos de convergência e divergência entre as interações mediadas por computador e aquelas da dimensão física.  Neste ínterim, um dos tópicos se destina a compreender como as propriedades dos bits e átomos modelam a arquitetura, tanto digital quanto física.
É neste sentido que o vídeo Entre Átomos e Bits: O Second Life como ferramenta e extensão do homem foi pensado. Dirigido pelo baiano Rafael Sodré, o documentário é fruto de um TCC em Comunicação Social – Rádio Php Aide e TV pela Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC. Luís Carlos Petry, Maria Inês Accioly, um gamedesigner e integrantes do Second Life compõem a narrativa. Ao longo dos quase vinte minutos de duração, são discutidos temas como metaverso e simulação, em um processo de produção que reforça o título do projeto: o suporte visual oferece imagens gravadas em ambientes construídos tanto por bits e quanto pela organização de átomos. Isto é, o diretor optou por registrar imagens no ambiente do Second Life (processo inteiramente digital), bem como gravar as entrevistas em MiniDV  (dimensão física). O produto, datado de 2008, contou também com a colaboração de personagens do cenário musical pernambucano, China e Nação Zumbi, na apresentação de alguns temas a serem discutidos pelos depoentes escolhidos.
O resultado pode ser conferido abaixo.

Felippe Thomaz

Felippe Thomaz é mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, onde examinou, na ocasião, o processo de construção identitária do jogador em MMORPGs, através de avatares. Doutor pelo mesmo programa, seu objetivo mira agora a compreensão da influência exercida pelos variados dispositivos de controle sobre a experiência de jogos eletrônicos. Examinando o uso de joysticks, teclado e mouse, interfaces touchscreen e sensores de movimento, a questão que baseia a pesquisa, simplificadamente, é: de que maneira as formas de controle influenciam a própria experiência do jogar um game?

More Posts - Website

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.