Comportamento em Lugares Públicos | Capítulo 5 | Interpretações

12- A estrutura e a função de propriedades situacionais.

Após sugerir que o comportamento de um indivíduo numa situação é guiado por valores ou normas tratando do envolvimento, Goffman chama atenção para a existência de um padrão de distribuição ou alocação do envolvimento do indivíduo. “Ao tomar o ponto de vista da situação como um todo, podemos ligar a alocação de envolvimento de cada participante a alocação mantida por cada um dos outros participantes”, montando dessa forma um padrão que Goffman irá chamar de estrutura do envolvimento na situação. A partir desse ponto, o autor traça uma breve revisão sobre as regras, tipos de de propriedades situacionais e as funções sociais que elas parecem realizar.

13- Firmeza e Frouxidão

Partindo das descrições de algumas da regulações que governam envolvimentos mantidos dentro de uma situação e levam a uma exibição de respeito e consideração pelo ajuntamento na situaçao, Goffmam irá tratar do continuum ou eixo geral do qual a vida social nas situações varia. Esse continuum irá variar a depender do grau de disciplina que o indivíduo é obrigado a ter em relação as várias formas em que o respeito pelo ajuntamento e sua ocasião social podem ser expressos. Se na fala cotidiana, os termos “formalidade” e “informalidade” são as vezes usados para se referir a este eixo central de regulação situacional, Goffman adota os termos “firme”e “frouxo” por considerá-los “mais descritivos e dar um peso mais igual às várias formas em que se pode exibir a devoção a uma ocasião social. Goffman irá descrever ocasiões e ambientes sociais no quais são permitidos ou exigidos dos indivíduos uma maior firmeza ou frouxidão.

14- A significância sintomática de impropriedades situacionais.

Ao contrário de uma suposição que alguns sociólogos fazem, para Goffman parece não havem muita dúvida de que comportamento inadequado em uma situação pode as vezes nos dizer muito sobre a recepção do infrator em outras situações. Apesar de no estudo Goffman, ao tratar da ocorrência de ofensas amplamente relevantes, estar preocupado com o que tais ofensas custam ao ajuntamento, nesse tópico o autor se debruçaram sob um tema mais tradicional: o que a impropriedade de um indivíduo na situação diz aos outros?

14.1- Comunidade

Goffman aborda como a relação de um indivíduo com ajuntamentos e ocasiões sociais às vezes nos diz algo sobre suas relações com unidades mais amplas da vida social, no caso, as comunidades.

14.2-Estabelecimentos sociais

No tópico é investigado como impropriedades situacionais podem ser empregadas como um meio de exprimir ressentimento que o infrator pode sentir em relação a algo mais circunscrito do que uma classe ou uma comunidade, como por exemplo, o estabelecimento ou instituição social em que ele se encontra.
14.3-Relações sociais

Goffman trata do uso de impropriedades situacionais como atos de desafio interpessoal. Em estabelecimentos sociais um membro em particular pode servir como guardião da ordem situacional, sendo obrigado a garantir que todos os presentes mantenham uma alocação de envolvimento apropriada.

14.4- Engajamentos

Muitas da impropriedades tratadas no tópico podem ocorrer, porque o indivíduo está alienado, ou quer parecer alienado, de um engajamento corrente ou até mesmo de sua comunidade. Goffman aborda como os requerimentos sociais exigem um certo tipo de engajamento que se não mantido de maneira efetiva, pode se transformar em uma impropriedade situacional e gerar constrangimentos.

15- Conclusões

Tal estudo se preocupou com o comportamento em lugares públicos, especificamente da ordem pública que trata da conduta dos indivíduos que ocorre devido a sua presença entre outros. Entretanto, apenas um seguimento dessa conduta foi analisados:
Em seu estudo Goffman emprega três unidades sociais básicas: engajamento de face, ocasião social e ajuntamento social. O autor investiga como a conduta social é pautada por regras que orientam o indivíduo em sua ligação e desligamento de ajuntamento sociais. Muitas vezes, tais regras são cumpridas sem que nos atentemos a elas, mas se formos pegos agindo impropriamente, o se flagrarmos os outros agindo dessa forma, o constrangimento pode ser profundo.

 

Lisi Barberino

É mestranda pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA, na linha de pesquisa em Cibercultura. Possui Bacharelado em Comunicação Social com habilitação em Produção em Comunicação e Cultura e atualmente pesquisa linchamento virtual em sites de redes sociais.

More Posts

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.