#AllIsFineWithMe: hashtag para quebrar padrões

A hashtag #AllIsFineWithMe (The Guardian, 2019) tem sido utilizada por um movimento de mulheres russas para mobilizar e tentar desafiar e desconstruir o padrão de beleza.

O padrão de beleza que ainda impera em muitos lugares, na sociedade brasileira também, é o de uma mulher alta, magra, jovem e bela (mesmo essa sendo uma característica subjetiva). Este torna-se um ideal para a maioria das mulheres, com objetivos possivelmente de serem aceitas em algum grupo, fazerem parte da sociedade.

Muitas vezes as dimensões traçadas são inalcançáveis para a realidade da pessoa, ou alcançáveis após muita disciplina e sacrifícios (Luz, 2019). Essa ideia de corpo ideal popularizou-se por influência dos meios de comunicação, dos desfiles e editoriais de moda, das estrelas de cinema, por exemplo. O padrão de beleza reduz e simplifica a realidade, produzindo uma perspectiva de um esquema, muitas vezes diferente do original, que acaba favorecendo a emergência de preconceitos (Brunelli, 2016), e até o aparecimento de transtornos alimentares e o desenvolvimento de baixa autoestima .

Celulites, estrias, acnes, espinhas, perda de cabelo fazem parte da vida de muitas mulheres ao redor no mundo. Mas essas características são consideradas fora de um padrão de beleza valorizado socialmente. O movimento #AllIsFineWithMe é uma tentativa de romper com esse padrão e afirmar que todos os corpos com suas variações são reais e belos de sua própria maneira, e está tudo bem.

O Instagram é uma excelente ferramenta para divulgar esse tipo de protesto e popularizar as imagens de todos os tipos de corpos. Como, por exemplo, já foi discutido em publicação anterior sobre o tema da gordofobia, que a #gordofobianãoépiada é uma maneira de as pessoas buscarem combater o problema.

Com mais de 1 bilhão de usuários ativos ao redor do mundo e com várias possibilidades de interação na plataforma (Instagram, 2018), o uso de # (hashtags) como essas no Instagram pode ajudar a divulgar informações, dar visibilidade ao conteúdo, expandir o alcance do tema, mobilizar mais pessoas, desconstruir padrões, normalizar comportamentos, entre outros. Os exemplos citados são apenas algumas das possibilidades de mobilização em busca de mudanças sociais.

Brunelli, A. F. (2016). Estereótipos e Desigualdades sociais: Contribuições da Psicologia Social à Análise do Discurso. Cadernos de Estudos Linguísticos. Campinas, SP. Brasil. Jan./Abr. pp. 25-43. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8646152

Instagram (2018). Disponível em https://instagram-press.com/blog/2018/06/20/welcome-to-igtv/

Luz, T. P. (2019). O Processo de Influência Social entre Influenciadoras Digitais de Moda e suas Seguidoras na Plataforma de Rede Social Instagram. Dissertação de Mestrado. Instituto de Psicologia, Universidade Federal da Bahia, Salvador/BA, Brasil. The Guardian (2019). #AllIsFineWithMe: Russian women fight strict beauty standards with body-positivity. Disponível em https://www.theguardian.com/world/2019/oct/04/allisfinewithme-russian-women-fight-strict-beauty-standards-with-body-positivity

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.